ads-geral-topo
Turismo

Turismo no Espírito Santo: o que fazer em dois dias em Mimoso do Sul?

Mimoso do Sul faz parte da rota turística dos Vales e do Café, que abrange os municípios de: Cachoeiro do Itapemirim, Vargem Alta, Muqui e Marataízes

Por Redação

em 10 de nov de 2023, às 13h05

8 mins de leitura

Foto: Divulgação

O Sul do Espírito Santo é uma região recheada de belezas naturais e possui excelentes opções de passeios para quem quer desbravar e fazer turismo pelo Estado. Com diferentes climas e características, as cidades atraem milhares de visitantes durante o ano, e um dos destinos é Mimoso do Sul, um um município que guarda memórias, histórias e sedia eventos conhecidos nacionalmente.

Mimoso do Sul possui uma área de 867,26 km, e faz divisa com os municípios de Alegre, Jerônimo Monteiro, Muqui, Presidente Kennedy, Atílio Vivácqua, São José do Calçado, Apiacá e com o Estado do Rio de Janeiro.

A cidade é formada pelos distritos de Conceição do Muqui, Dona América, Ponte do Itabapoana, Santo Antonio do Muqui, São José das Torres e São Pedro do Itabapoana, este último conhecido por sediar anualmente o tradicional Festival de Inverno da Sanfona e da Viola.

Mimoso do Sul faz parte da rota turística dos Vales e do Café, que abrange os municípios de: Cachoeiro do Itapemirim, Vargem Alta, Muqui e Marataízes. O município possui inúmeras belezas naturais, matas nativas, abundante flora e fauna e cachoeiras que servem como atrativo para o desenvolvimento do turismo rural na região.

Além disso, a cidade preserva sua história através das fazendas, com seus casarões antigos preservados e o Sítio Histórico de São Pedro do Itabapoana, com casario tombado pelo patrimônio histórico.

A economia de Mimoso do Sul é voltada para o comércio e para a agricultura, com a produção de café conilon nas regiões mais baixas do município, e café arábica nas áreas de montanhas. Também há lavouras permanentes de produção de laranja, banana, goiaba, coco, palmito, e as lavouras temporárias de arroz, feijão, mandioca e milho.

Outra fonte econômica em destaque é a pecuária leiteira. Mimoso do Sul é um dos municípios capixabas com maior número de cabeças de gado.

O agroturismo em Mimoso do Sul tem se desenvolvido de forma gradativa e com possibilidade de expansão. Como consequência, é observado nas áreas onde existem os empreendimentos turísticos, maior preocupação com a utilização sustentável dos recursos naturais existentes e com a preservação ambiental.

Outras atividades vêm se desenvolvendo junto com turismo rural como o artesanato e a agroindústria. Atualmente, são produzidos no município diversos produtos artesanais, como: iogurte, polpa de frutas, doces, biscoitos, pães, queijos, bolos e tortas.

Como chegar em Mimoso do Sul?

Mimoso do Sul está localizado a 177,1 km de Vitória. Para quem sai da capital, o trajeto é pela BR-101 Sul, por cerca de 2h38.

Para quem sai de Cachoeiro de Itapemirim, o trajeto é feito pela BR-101 Sul e pela Rodovia ES 391, e são 59,2 km, em um percurso de 1 hora.

O que fazer em Mimoso do Sul em dois dias?

Foto: Divulgação/Prefeitura de Mimoso do Sul

A tradicional festa da cidade tem início geralmente na segunda quinta-feira do mês de julho. O evento reúne artistas nacionais e regionais, e atrai um grande público ao município.

Na época do Carnaval, acontece um dos melhores carnavais do Espírito Santo, com os desfiles dos blocos de ruas que animam os foliões. O evento atrai famílias e é sucesso de público

Um dos principais pontos turísticos de Mimoso do Sul é o mirante do Cristo Redentor. Construído há quase 40 anos, o monumento está situado em um monte de 128 metros de altura. O ponto turístico foi inaugurado em 11 de julho de 1982, e possui escadas com acesso a um mirante, que permite uma visão panorâmica do município.

Outro local que merece uma visita é o Teatro Stênio Garcia. Com construção feita em estilo italiano, o espaço tem capacidade para 270 espectadores. Atualmente desativado, o teatro possui nome que homenageia o famoso ator Stênio Garcia, nascido em Mimoso do Sul, em 1932.

Para quem gosta de aventura ao ar livre, Mimoso do Sul é o destino certo. O Pico dos Pontões, conhecido como conhecido “Dedo de Deus”, é outro atrativo turístico da cidade. A pedra possui 1.438 metros de altura, e está localizada no distrito de Conceição do Muqui, no extremo Norte do município. Para chegar ao monumento, basta seguir pela Rodovia ES 391.

A Cachoeira das Graças e a pedra Estrela d’Alva, onde, em dias claros, se avistam as praias de Marataízes, são outros atrativos que atraem quem gosta de praticar o turismo de aventura.

Patrimônio Histórico do Espírito Santo

Foto: Divulgação/Secult

Tombado como Patrimônio Histórico do Espírito Santo, o distrito São Pedro do Itabapoana, em Mimoso do Sul, possui museu, antiquário, casarões e fazendas com traços de arquitetura originária do ciclo do café, e está localizado a 30 km do centro da cidade.

O distrito de São Pedro de Itabapoana deve sua criação ao decreto provincial no ano de 1863 e teve seu território desmembrado de Cachoeiro de Itapemirim, em 1887, quando se tornou o segundo município mais populoso do Estado até o final da década de 1920, perdendo apenas para Alegre.

Foi um dos municípios mais importantes do Espírito Santo até Revolução Varguista de 1930. Depois Mimoso do Sul passou a ser a sede do município e São Pedro do Itabapoana passou a ser seu distrito.

São Pedro de Itabapoana está a aproximadamente 460 metros de altitude e tem uma população urbana estimada em 1.000 habitantes, ocupando uma área de 7.928 há. O acesso ao distrito é feito por rodovia pavimentada e tem como principais atrativos o clima de montanha, a natureza exuberante, um grande conjunto de fazendas que datam do século XIX, o prédio Câmara e Cadeia, e o museu de São Pedro de Alcântara.

Em 1987, tornou-se Sítio Histórico, quando o Conselho Estadual de Cultura realizou o tombamento de 41 imóveis residenciais, além do prédio Câmara e Cadeia, da igreja e o calçamento central em pedras pé-de-moleque, a maioria deles datados do século XIX, como Patrimônio Histórico e Artístico Estadual.

A partir de uma tradição antiga da região de se tocar sanfona e viola, o distrito criou o Festival de Inverno da Sanfona e Viola, para o capixaba conhecer melhor e desfrutar um pouco desta região repleta de história, cultura, tradição e arte.

Além disso, outros projetos são desenvolvidos no distrito, como o “Vem Viver o Patrimônio”, que tem o objetivo principal de proporcionar sustentabilidade econômica ao Sítio Histórico, criando novas possibilidades de geração de renda local, e também projeto “Casa Aberta”, um cenário com exposição ao vivo de obras de artes, artesanato, antiguidades, comidas e bebidas que revelam a identidade de um povo ligado as suas raízes.

Festival de Inverno da Sanfona e Viola

Foto: Divulgação

O Festival de Inverno de Sanfona e Viola de São Pedro do Itabapoana foi idealizado em 1998, a partir de uma tradição antiga da região de se tocar sanfona e viola.

Com uma intensa programação cultural de música raiz, o festival acontece no último final de semana do mês de julho, com músicos locais e regionais, além dos tradicionais shows, contação de histórias, missa sertaneja, e o concurso de música da sanfona e viola, com participação de candidatos de várias partes do Brasil. Todas as atrações são gratuitas.

O Festival de Inverno de São Pedro do Itabapoana resgata, preserva e difunde a história do Sítio Histórico, através da arte de música caipira, mantendo as raízes da sonorização instrumental, ritmo e harmonia, pode ser considerado um processo cultural permanente, gerando um centro de produção artística e cultural.

Como chegar?

De Vitória até São Pedro de Itabapoana são cerca de 199,7 km, e o trajeto é feito pela BR-101 Sul. O equivalente a 3h15.

Para quem sai de Cachoeiro de Itapemirim, são cerca de 81,8 km, e o trajeto é feito pela BR-101 Sul e pela Rodovia ES 391, em aproximadamente 1h36 de viagem.

O que fazer em São Pedro do Itabapoana?

No Sítio Histórico de São Pedro, a arquitetura, o hábito de se tocar sanfona e viola, suas comidas típicas, seus modos de vida, de falar e de sentir, fazem parte de sua identidade cultural.

Então, há muito para de visitar e conhecer no distrito:

  • Artesanato Casa Azul – (28) 3555-8162
  • Artesanato Susu Arteira
  • Zezé Moraes Enxovais – (28) 3555-0340/(28) 99946-3837
  • Antiquário São Miguel – (28) 3555-8112
  • Cachoeira da Paraíba
  • Mirante da Telemar/Oi (torre e trilha na mata)
  • Museu
  • Visitas as fazendas Históricas (pré-agendadas)

O que comer e onde se hospedar?

Pousada Vila Verde

Telefones: (28) 3555-8168 e (27) 99981-4977

Pousada Bucólica

Telefone: (27) 99993-6805

Pousada e Restaurante da Geralda

Telefones: (28) 3555-8142/(28) 99976-3908

Pousada Casa Azul

Telefone: (28) 99908-1840

Pousada e Camping Vivenda das Castanheiras

Telefones: (28) 3555-8141/(27) 99227-4157

Pousada da Vovó

Telefone: (28) 3555-8152

Pousada Susu Arteira

Telefones: (28) 99939-1345/(28) 99885-8583

Associação Recanto Familiar

Telefone: (28) 99931-9560

Cama e CaféSistema em que moradores abrem suas casas para que o visitante possa conviver e se hospedar.

Cantinho do Céu

Telefone: (28) 99950-2962

Cantinho da Mimida

Telefone: (28) 3555-8127/(28) 99882-1050

Família Venialli

Telefonbe: (28) 99884-0207

Família Menditi

Telefones: (28) 3555-8101/(28) 99964-9436

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape