ads-geral-topo
Nacional

Padre Airton Freire, acusado de estupro, é transferido para hospital

Preso preventivamente desde o último dia 14, ele já havia sido levado na tarde de sábado (22), para o Hospital Memorial Arcoverde, em Arcoverde, após uma crise de hipertensão

Por Estadão

2 mins de leitura

em 24 de jul de 2023, às 09h22

Foto: Reprodução

O padre católico Airton Freire, de 63 anos, acusado de estupro, foi transferido para o Real Hospital Português, no Recife, na manhã deste domingo (23), por causa do agravamento de suas condições de saúde. Preso preventivamente desde o último dia 14, ele já havia sido levado na tarde de sábado (22), para o Hospital Memorial Arcoverde, em Arcoverde, no sertão de Pernambuco, após uma crise de hipertensão.

A assessoria do Real Hospital Português confirmou a transferência do padre, mas informou não ter autorização para divulgar o seu estado de saúde. Segundo informou a assessoria do padre a veículos de imprensa locais, a transferência para a capital foi decorrente de “um princípio de acidente vascular cerebral que requer cuidados especializados”.

O padre foi acusado de estupro por uma fiel de sua igreja em Arcoverde, a personal stylist Sílvia Tavares de Souza. Segundo a vítima, o crime teria ocorrido em agosto do ano passado, na sede da Fundação Terra, uma instituição criada pelo religioso para atender pessoas socialmente vulneráveis. Segundo o Ministério Público de Pernambuco, que pediu a prisão preventiva do padre no último dia 14, há cinco inquéritos policiais abertos contra ele.

Na denúncia, Sílvia afirma que um motorista e segurança do padre a ameaçou com uma faca e a forçou a ter relações sexuais com ele, por ordem do religioso, que se masturbou enquanto assistia à cena. Moradora do Recife, ele contou ter conhecido o padre em 2019, quando buscava ajuda para tratar uma depressão.

O MP, que pediu a prisão do suspeito, disse que a medida cautelar é necessária para garantir a continuidade da investigação, afastar o risco de novos delitos e assegurar a proteção às vítimas que procuraram a tutela do Estado. Três promotores foram designados para acompanhar o caso, que é tratado como sigiloso pela Justiça.

A Diocese de Pesqueira, a qual o padre Airton é vinculado, afastou o clérigo do exercício da função sacerdotal.

Estadao Conteudo

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape