ads-geral-topo
Economia

Dia das Crianças: Jogos eletrônicos e importados são os campeões de impostos

Tributos chegam a 72% do valor final de mercadorias. Por outro lado, roupas, que são os principais itens comprados nesse período, têm 34% de taxas

Por Redação

em 11 de out de 2023, às 17h22

3 mins de leitura

Foto: Divulgação

É quase unanimidade: ao perguntar o que as crianças querem ganhar no seu dia, a maioria dos pais e familiares vai ouvir desejos como brinquedos e produtos eletrônicos. Por outro lado, levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio-ES) aponta que a preferência na hora da compra é por roupas e calçados.

Na corrida para a escolha do presente preferido para o Dia das Crianças, é importante ficar atento a quanto de imposto é pago em cada tipo de produto, já que os tributos também elevam o valor do produto.

Levantamento realizado pelo advogado tributarista Samir Nemer, com os produtos mais procurados para a data, apontou que os impostos chegam a até 72% do valor final dos presentes. Este é o caso do Playstation e dos jogos de videogame.

As mercadorias importadas ficam nas posições seguintes do ranking, com 68,76% de tributos embutidos no preço final de um smarphone vindo do exterior; 59,32% de impostos sobre o Ipad importado; e 58,59% de tributos no preço de um tênis fabricado fora do país.

“Produtos importados têm chamado imposto de importação, o que encarece ainda mais o presente. O ideal é optar por mercadorias da indústria nacional, que vão ter um custo menor”, explicou Nemer, que é sócio do escritório Furtado Nemer Advogados.

Outros presentes clássicos, como patins, skate e patinete também têm mais da metade do seu valor final só de impostos: 52,78%. “Isso significa que se um produto custa R$ 100, R$ 52,78% é apenas para pagamento de imposto”, ressaltou o advogado.

Produtos tradicionais, como carrinhos, bonecas e demais brinquedos, contam com um percentual de tributos um pouco menor, 39,70%. Já bermudas, camisas e outras peças de roupas, que são as preferidas de pais e familiares, têm ainda menos impostos: 34,67%.

A elevada tributação de muitos desses presentes se deve ao fato de serem considerados bens supérfluos, que não são essenciais para o bem-estar do cidadão, segundo Nemer. Ele comentou ainda sobre a importância de todo brasileiro ter conhecimento em relação ao valor pago de impostos.

“Poucos consumidores param para pensar na hora da compra sobre a carga tributária embutida nos produtos. É importante conhecer esses valores para fazer a escolha do presente e também para cobrar dos nossos governantes o uso desses impostos”.

Confira a lista dos principais presentes e seus tributos:
Playstation e jogos de videogame – 72,18%
Smartphone importado – 68,76%
Ipad importado – 59,32%
Tênis importado – 58,59%
Patins, skate e patinete – 52,78%
Bola de futebol – 48,49%
Tênis nacional – 44%
Prancha de surfe – 43,65%
Piscina de plástico – 40,09%
Celular – 39,80%
Carrinho, boneca e demais brinquedos – 39,70%
Mochila – 39,62%
Guitarra – 39,06%
Calça jeans – 38,53%
Teclado – 38,52%
Bateria – 38,30%
Ipad nacional – 37,79%
Violão – 36,77%
Boné – 35,06%
Bermuda, camisa e outras roupas – 34,67%
Computador – 33,62%
Chinelo – 31,09%
Ursos de pelúcia – 29,92%
Hospedagem em hotel – 29,56%
Passagem aérea – 22,32%
Ingressos para teatro, cinema e jogos de futebol – 20,85%

Fonte: Levantamento do advogado tributarista Samir Nemer com dados do site Impostômetro.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape