ads-geral-topo
Esportes

Gómez entra para a história e Palmeiras bate o Criciúma pelo Brasileirão

A partida em Santa Catarina não mostrou um Palmeiras diferente, mas deu alguns leves sinais de recuperação

Por Estadão

4 mins de leitura

em 03 de jun de 2024, às 08h59

Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

O ápice do futebol exibido pelo Palmeiras de Abel Ferreira foi há mais de uma temporada e, desde então, o torcedor se habituou a ver um time que mesmo jogando mal era capaz de superar os adversários. Neste domingo, diante do Criciúma, a equipe alviverde deu amostras do retorno desse estilo – ainda longe de ser o time feroz e implacável de outros tempos – e venceu o time catarinense por 2 a 1, com gols de Gustavo Gómez e Lázaro, pela sétima rodada do Brasileirão, no Estádio Heriberto Hülse.

A partida em Santa Catarina não mostrou um Palmeiras diferente, mas deu alguns leves sinais de recuperação. O time foi mais altivo do que o habitual e controlou o jogo da forma que se espera do atual bicampeão brasileiro. Os jogadores ainda não recuperarem a boa fase técnica e pecam na criatividade a ponto de desafiar Abel Ferreira a buscar, no curto prazo, soluções mais ousadas. Falta contundência, não apenas eficácia. Rony e Caio Paulista foram os destaques negativos.

Agora, o Palmeiras tem dez dias de treinamento para se aperfeiçoar tática e tecnicamente e voltar a brigar por vitórias no Brasileirão. O próximo compromisso será diante do Vasco, no dia 13, às 21h30, no Allianz Parque. O duelo pode marcar o retorno do atacante Dudu, fora há nove meses por lesão grave no joelho. O Criciúma, por sua vez, recebe no dia 9, próximo domingo, o Cuiabá, em jogo atrasado, às 16h.

No primeiro jogo sem Endrick, o Palmeiras foi a campo com uma formação modificada. Apostando na movimentação no comando do ataque, Rony foi escalado como centroavante. Mais atrás, a comissão técnica optou por escalar três jogadores com mais características de armação: Rômulo, na esquerda, Veiga, por dentro, e Estêvão, na direita.

O Criciúma foi mais agressivo nos movimentos iniciais, mas não demorou para o Palmeiras tomar o controle do jogo. A presença alviverde na grande área carvoeira, porém, não se converteu em lances claros de gol. Apesar das dificuldades, o time visitante mostrou maior volume de jogo do que nas partidas anteriores. A grande preocupação era com os contra-ataques dos catarinenses.

O novo conceito tático melhorou a participação de Veiga. Criticado pelas recentes atuações, o meia foi mais participativo e levou perigo nas bolas paradas. Nos minutos finais do primeiro tempo, o Criciúma se arriscou com mais intensidade e arrancou suspiros dos torcedores no Heriberto Hülse.

Na volta do intervalo, Martinho optou por melhorar o ataque do Palmeiras pelas laterais. Assim, sacou Estêvão e Rômulo e colocou Lázaro e Luís Guilherme, que são mais agudos. De fato, o Palmeiras aumentou sua presença no ataque e ficou próximo de inaugurar o placar.

Em um lance de pressão do Palmeiras no ataque, a bola foi cruzada na grande área, o zagueiro Rodrigo tocou com o braço na bola e a arbitragem assinalou pênalti. Gómez foi para a bola e converteu, aos 21. Foi o 37º gol marcado pelo paraguaio, que ultrapassa a marca de Luis Pereira e se torna o zagueiro com mais gols na história da equipe alviverde.

A alegria alviverde, porém, durou pouco. Dois minutos depois, a zaga do Palmeiras bobeou, Claudinho cruzou e Murilo desviou contra a própria meta. A bola tocou na trave e voltou para Matheusinho empatar o jogo para o Criciúma. No fim do jogo, aos 47, Lázaro apareceu para recolocar o time alviverde em vantagem e dar números finais ao duelo. Após escanteio cobrado por Luís Guilherme, Gómez desviou e Lázaro fez o seu.

FICHA TÉCNICA

CRICIÚMA 1 X 2 PALMEIRAS

CRICIÚMA – Gustavo; Claudinho (Jonathan), Rodrigo, Wilker Ángel e Marcelo Hermes; Barreto (Ronald Lopes), Higor Meritão, Marquinhos Gabriel e Matheusinho (Arthur Caíke); Bolasie e Eder (Felipe Vizeu/Alano). Técnico: Cláudio Tencati.

PALMEIRAS – Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez (Caio Paulista); Aníbal Moreno (Zé Rafael), Richard Ríos, Rômulo (Lázaro) e Raphael Veiga (Gabriel Menino); Estêvão (Luís Guilherme) e Rony. Técnico: Carlos Martinho.

GOLS – Gustavo Gómez, aos 21, Matheusinho, aos 23, Lázaro aos 47 minutos do 2º tempo.

CARTÕES AMARELOS – Gustavo, Alano, Ronald Lopes, Rodrigo, Higor Meritão, Barreto, Matheusinho, Gómez, Zé Rafael e Caio Paulista.

ÁRBITRO – Rafael Rodrigo Klein (Fifa-RS).

PÚBLICO – 19.027 torcedores.

RENDA – R$ 934.140,00.

LOCAL – Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (Santa Catarina).

Estadao Conteudo

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape