ads-geral-topo
Cidades

Mulheres de Alegre desenvolvem suas aptidões na cafeicultura

Vinte produtoras tiveram a oportunidade de conhecer o que é o café especial, seu modo de produção e técnicas usadas que contribuem para essa classificação.

Por Redação

6 mins de leitura

em 05 de jun de 2024, às 09h34

Foto: Divulgação | PMA

O trabalho das mulheres em diversos setores da sociedade ainda é invisível e subestimado, se comparado ao dos homens. No setor do agronegócio não é muito diferente. Mas em Alegre, na região do Caparaó, essa realidade está mudando a partir da cultura dos Cafés Especiais.

Na última terça-feira (28), mulheres do Assentamento Floresta participaram do encontro promovido pelo projeto “Mulheres do Café: Igualdade de gênero e agregação de valor na cafeicultura capixaba”, do INOVAGRO, o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).

Leia Também: Cachoeiro se prepara para a chegada das Relíquias de Santa Teresinha

Vinte produtoras tiveram a oportunidade de conhecer o que é o café especial, seu modo de produção e técnicas usadas que contribuem para essa classificação. A programação contou com degustação de cafés e palestras sobre as etapas de colheita e pós-colheita de cafés especiais.

O projeto tem apoio da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) e é coordenado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

O papel da Mulher valoriza toda cadeia de produção

Segundo o Secretário Executivo de Desenvolvimento Rural de Alegre, Antônio Gustavo Favato Costa, iniciativas que destacam e apoiam as mulheres no setor cafeeiro estão se multiplicando.

E os benefícios transcendem a igualdade de oportunidades e o reconhecimento, interferindo diretamente na qualidade das produções e no valor de mercado, principalmente do Café Especial.

“Há, de fato, um movimento crescente e necessário para reconhecer, valorizar e promover igualdade de gênero, além de suporte, capacitação e melhores condições para todas as envolvidas na cadeia produtiva do café. Essa contribuição é fundamental para promover um setor cafeeiro mais justo e igualitário. Afinal, as mulheres sempre foram uma força motriz por trás da produção de um café de qualidade”, destacou.

O toque que favorece todo processo

O Secretário explica que, ao longo do processo de plantio e produção do café nas propriedades familiares, as mulheres tradicionalmente desempenham justamente as funções que garantem a qualidade da bebida para o consumidor final.

Para ele, a tendência ao olhar detalhista e a uma abordagem mais serena e paciente, atributos mais expressivos nas mulheres, são diferenciais na manutenção e elevação do padrão de qualidade das produções.

“Historicamente, a produção de café de qualidade sempre contou com o trabalho dedicado e meticuloso das mulheres. Enquanto os maridos se ocupavam das lavouras, as esposas desempenhavam um papel primordial nos terreiros, trabalhando na pós-colheita. Essa dedicação resulta em uma bebida mais refinada e apreciada por consumidores exigentes ao redor do mundo”, relacionou.

Gustavo também explica a etapa pós-colheita, que garante aos consumidores um café de qualidade inquestionável.

“Após a colheita dos grãos de café, a fase de pós-colheita inclui processos como a secagem, a fermentação e a seleção dos grãos. Esses processos determinam grande parte das características sensoriais do café, influenciando o sabor, o aroma e a acidez da bebida final. As mulheres, com seu olhar atento e mãos habilidosas, se dedicavam a essas tarefas com precisão e cuidado, assegurando que cada lote de café fosse tratado com a máxima atenção”, detalhou.

Mulheres do Café

O projeto identificou a demanda das mulheres da região por igualdade nas vagas de cursos de aperfeiçoamento da produção, degustação, condução da lavoura e fez excursões para conhecer experiências de sucesso na produção de cafés especiais no Estado.

Entre as ações previstas, estão a capacitação sobre empreendedorismo, mercado, turismo rural e técnicas de produção; análise física e sensorial dos cafés para mulheres e divulgação dos produzidos por mulheres no Estado, em eventos estaduais e nacionais.

As visitas começaram no mês de abril e outros municípios vão receber o projeto em junho e julho.

Mostra de Cafés Especiais de Alegre

Em dezembro de 2023, Alegre realizou a 5ª Mostra de Cafés Especiais que teve como objetivos compartilhar os resultados expressivos da cafeicultura alegrense e incentivar a produção de cafés especiais no município.

O evento foi realizado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), em parceria com a Secretaria Executiva de Desenvolvimento Rural (SEDER) e a Empresa Júnior de Cafeicultura (Caparaó Jr.), do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

Na ocasião, foram divulgados os três primeiros colocados de cada categoria, arábica e conilon, e entregues os certificados de participação e colocação aos cafeicultores e cafeicultoras presentes.

Referência em café arborizado

O município recebeu em março, uma visita para intercâmbio de conhecimento sobre sistemas de café arborizado. A ação aconteceu na unidade de pesquisa participativa (UPP) na propriedade do produtor rural Júlio Mendonça, na comunidade de Santa Luzia, em Alegre.

A visita na unidade de pesquisa faz parte de uma das várias ações do projeto intitulado “Desempenho Agronômico e Econômico do Cafeeiro em Sistemas Arborizados”, fruto de um convênio entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

Encontros de Cafeicultores

O Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) Campus Alegre e a Caparaó Jr. realizaram o 13º Encontro de Cafeicultores, com o tema “Café: Cultivando a força da união”.

O evento anual está programado para reunir cafeicultores, entusiastas e especialistas em uma celebração da cultura do café.

Em dezembro de 2023, aconteceu a “Mesa Redonda: Cafés Especiais e Comercialização”, uma oportunidade para aprender sobre o mercado de cafés especiais e as tendências de comercialização.

Realizado pela Prefeitura Municipal de Alegre e a SEDER, com a colaboração valorosa do Incaper, Governo do Estado, Caparaó Jr., IFES e SICOOB.

O 4º melhor conilon do Brasil é de Alegre

O evento “Coffee of The Year 2023” recebeu mais de 500 amostras vindas de diferentes regiões brasileiras, que foram divididas entre as categorias, arábica e canéfora, da qual o conilon é uma das variedades.

Quatro representantes do Caparaó capixaba ficaram entre os cinco primeiros colocados na categoria do conilon.

O produtor Mauro Torres Ribeiro, do Sítio Vale das Bençãos, em Alegre, foi o quarto colocado. Dos demais, dois eram de Rio Novo do Sul, um de Jerônimo Monteiro e mais um produtor de Rondônia.

Na lista dos melhores cafés especiais do ES

Em 2021, Alegre participou do movimento de elaboração da rota estadual dos cafés especiais. O município foi contemplado com algumas cafeterias e produtores no E-book de Cafés Especiais Capixabas.

Fonte: Prefeitura de Alegre.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape