ads-geral-topo

Da ambição a ganância pelo poder

A ambição é um sentimento que predispõe a pessoa a buscar suas realizações com seus próprios recursos

em 25 de out de 2022, às 10h27

3 mins de leitura

Foto: Pixabay

A ambição é um sentimento que predispõe a pessoa a buscar suas realizações com seus próprios recursos. É esse sentimento que move o mundo e o desenvolvimento da sociedade.

Não diferentemente, a ganância também é um sentimento que ronda a humanidade desde sempre, porém ela contraria os princípios da coletividade e da vida em sociedade.

Se faz oportuno diferenciar a ambição da ganância.
Pessoas ambiciosas têm em seu DNA visão futurista , são desbravadoras e idealistas, sendo elas responsáveis pelas expansões e evoluções sociais e tecnológicas que ocorreram ao longo da história do mundo.

Já o poder permeia o mundo há séculos e séculos. Várias são as definições para a palavra entretanto vamos aqui nos prender ao Poder Social, aquele que exerce influência na vida diária de cada cidadão.

Entretanto, há de se estabelecer limites para que a ambição e o poder não se transforme num projeto pessoal culminando em patologia mental severa, que é a ganância.

Esse patologia mental tem grave impacto nas relações sociais e políticas, haja vista a frequência com que encontramos personagens com essa característica na esfera política, como conta a história da humanidade.

É a ganância pelo poder que transforma o bem no mal, faz com que imperfeitos homens se tornem perfeitos tiranos e conduzam nações à desgraça e à miséria.

Charles de Montesquieu filósofo francês, em sua obra “O espírito das Leis” (1748), propõe o sistema tripartiste que institui três poderes independentes: o
Poder Legislativo; o Poder Executivo e o Poder Judiciário.

Esse sistema foi implementado no Brasil a partir da constituição de 1988, com o propósito de proteger a sociedade de uma tirania e ou a concentração de poder em um só poder.

Infelizmente, no Brasil assistimos desrespeito a constituição a todo instante, os poderes se cruzam e se invadem desrespeitosamente causando grandes problemas de ordem administrativa, assim impedindo o desenvolvimento sócio-econômico do país.

A Constituição Federal Brasileira de 1988, prevê em seu artigo 1º parágrafo único: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou então diretamente, nos termos desta Constituição”.

É chegado a hora de cumprirmos o nosso dever de cidadão responsável e exercer nosso direito de participação, para tanto, devemos agir com responsabilidade e consciência votando naquele que oferece melhores projetos que beneficiarão a coletividade no presente e no futuro.

“Você se torna responsável por aquilo que cativas”.
(Saint-Exupéry)

Enfim,
o poder emana do povo e por ele será exercido”. Tudo depende de você.

Fernando Rangel Pereira tem formação em Estudos Sociais, Farmácia, Psicologia e Neuropsicologia.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape