ads-geral-topo

Feminicídio

Investigações apontam que homem matou namorada de 17 anos a tiros no ES

De acordo com o inquérito, o namorado da vítima, de 37 anos, foi o autor do crime. O caso aconteceu no dia 07 de janeiro deste ano, no município da Serra.

Por Redação

2 mins de leitura

em 11 de abr de 2023, às 17h07

Foto Ilustrativa

A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), concluiu o inquérito que investigava o crime de feminicídio contra uma adolescente de 17 anos. De acordo com o inquérito, o namorado da vítima, de 37 anos, foi o autor do crime. O caso aconteceu no dia 07 de janeiro deste ano, no município da Serra.

No primeiro momento das investigações, o suspeito teria se passado por vítima, mas, durante o inquérito, a polícia confirmou que ele é que foi o autor do feminicídio. O titular do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegado Ricardo de Almeida Soares, disse que, na ocasião do crime, o suspeito teria dito aos policiais que ele e a namorada tinham sido vítimas de latrocínio e que dois bandidos, em uma motocicleta, teriam atirado contra eles.

“Foi um crime bárbaro e covarde. Ele tentou encobrir o fato dizendo que teriam sido vítimas. Mas no decorrer das investigações, a equipe da DHPM conseguiu desvendar o fato e confirmar que ele foi o executor do crime”, contou o delegado Ricardo de Almeida Soares. 

Já a titular da Divisão de Homicídios e Proteção à Mulher, delegada Raffaella Aguiar, informou que os policiais desconfiaram da versão do suspeito quando ele prestou depoimento, logo após o crime. “A equipe do plantão do DEHPP foi ao local do crime e realizou uma entrevista com a suposta vítima, sobrevivente, já foi verificado que a história que ele narrava não era muito crível. Ele foi bem ousado, mas fica demonstrado que temos meios para provar tecnicamente e não vamos ser enganados”, afirmou.

Ainda segundo a delegada Raffaella Aguiar, durante a investigação, a polícia conseguiu comprovar a autoria do crime. “Na investigação, obtivemos vídeos do autor manuseando uma arma de fogo, que, aparentemente, era de calibre compatível com a que a vítima foi executada. Pelo laudo cadavérico, foi identificado que os disparos foram efetuados do lado do motorista para o lado do carona. Além disso, a vítima tinha marcas de disparos de arma de fogo na mão, o que caracteriza lesão de defesa”, relatou a delegada.

O suspeito, que responde pelo crime de feminicídio e fraude processual, segue preso. 

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape