ads-geral-topo
Economia

Dia dos Namorados: presentes com menos impostos, aponta especialista

Livros são produtos sem tributos. Já o buquê de flores tem 17,71% de seu preço final só de taxas, de acordo com levantamento

Por Redação

em 07 de jun de 2023, às 16h27

3 mins de leitura

Créditos: Fábio Nunes

A escolha de um presente para o Dia dos Namorados é sempre bem-avaliada de acordo com o gosto de quem vai ganhar o mimo, mas também a partir do bolso de quem vai comprar. Um item que deve ser analisado, segundo especialistas, é o percentual de imposto de cada produto, pois esse número também pode tornar o presente mais caro.

O alerta é do advogado tributarista Samir Nemer. De acordo com levantamento do especialista, entre os mimos com as menores quantidades de tributos, estão o buquê de flores, ingressos para shows, teatros e cinema e chinelos, além de livros – que não têm tributação.

“Enquanto a maioria dos presentes tradicionais chega a ter mais da metade de seu valor só de tributos, o livro conta com imunidade tributária prevista na Constituição Federal. Assim, não há incidência de impostos sobre essas obras”, ressalta o advogado.

Já o percentual de impostos em um buquê de flores é de 17,71%, de acordo com Nemer. “Outro presente com baixo percentual de tributos são os ingressos para cinema, teatro, jogos e shows, com 20,85%. As taxas são menores porque não há incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)”, ressaltou Nemer.

Para o advogado, tão importante quanto procurar promoções, é saber quanto de imposto o brasileiro paga em cada item, já que esse percentual altera o preço final do produto.

“Poucos consumidores param para pensar na hora da compra sobre a carga tributária embutida nos produtos. É importante conhecer esses valores para fazer a escolha do presente e também para cobrar dos nossos governantes o uso desses impostos”.

Mais caros

Ao avaliar os presentes com maiores percentuais de impostos em seu preço final, Nemer alerta que a quantidade paga aos cofres públicos chega a 79% do valor dos produtos. Esse é o caso do perfume importado. Em segundo lugar no levantamento está o vinho importado (69,73%), seguido do perfume nacional (69,13%) e o smartphone importado (68,76%).

“Nos produtos importados, além da tributação normal (IPI, ICMS, PIS/Cofins), é acrescentado o imposto de importação. Além disso, o dólar tem pressionado o preço desses itens”, esclarece Nemer, que é sócio do escritório Furtado Nemer Advogados.

Os principais presentes e seus impostos:

1- Perfume importado: 79%
2- Smartphone importado: 68,76%
3- Vinho importado: 69,73%
4- Perfume nacional: 69,13%
5- Ipad importado: 59,32%
6- Tênis importado: 58,59%
7- Relógio: 56,14%
8- Cosméticos: 55,27%
9- Maquiagem: 51,41%
10- Joias: 50,44%
11- Óculos de sol: 44,18%
12- Tênis nacional: 44%
13- Bijuterias: 43,36%
14- Bolsa: 39,95%
15- Chocolate: 39,61%
16- Sapato: 36,17%
17- Bermuda, camisa e outras roupas: 34,67%
18- Chinelo: 31,09%
19- Ingressos para cinemas, shows e teatros: 20,85%
20- Buquê de flores: 17,71%

Fonte: Levantamento do advogado tributarista Samir Nemer, com base no site Impostômetro.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape