ads-geral-topo
Cidades

Dengue: cuidados em casa contribuem no combate ao mosquito

A população deve ficar atenta em suas casas para evitar acúmulos de água parada, que podem conter focos do inseto

Por Redação

em 07 de fev de 2024, às 07h44

3 mins de leitura

É imprescindível que os moradores colaborem com os cuidados em suas residências. Foto: Márcia Leal/PMCI

Os locais que mais atraem o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zica, estão nas residências. Por essa razão, a população deve ficar atenta em suas casas para evitar acúmulos de água parada, que podem conter focos do inseto, em especial, nesta época do ano, com os períodos chuvosos.

Em Cachoeiro, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realiza ações para combater a proliferação do inseto, por meio da atuação dos agentes de endemias, com vistorias em imóveis; atividades educativas e bloqueios epidemiológicos em áreas com casos da doença. No entanto, é imprescindível que os moradores colaborem com os cuidados nas residências. Confira abaixo as instruções.  

Conforme a legislação vigente, é de responsabilidade de cada morador manter seu imóvel limpo e livre de água parada. As consequências administrativas e judiciais para os donos de imóveis abandonados que não tomam as devidas precauções na prevenção da dengue e outras arboviroses podem incluir multas e, até mesmo, processos criminais.

“Sempre estamos reforçando isto: o apoio da comunidade no combate ao mosquito da dengue é indispensável. Temos visto um aumento do número dos casos e, embora Cachoeiro esteja entre os municípios com menor incidência, não podemos baixar a guarda. Precisamos continuar fazendo a nossa parte”, salienta o secretário de Saúde de Cachoeiro interino, Gedson Alves.

Imóveis abandonados

Para ajudar, ainda mais, no combate ao Aedes aegypti, munícipes podem denunciar imóveis abandonados que estejam contribuindo para a proliferação.

A denúncia pode ser feita pelo telefone 156 ou por outros canais da Ouvidoria Municipal, para as medidas cabíveis.

A Semus esclarece que os agentes da vigilância sanitária e de combate a endemias não têm a prerrogativa legal de forçar a entrada em terrenos ou imóveis particulares para fiscalizar os cuidados de prevenção contra o Aedes aegypti.

Por esse motivo, os proprietários são notificados para que realizem a limpeza. Caso isso não seja cumprido, o responsável passará a ser multado.

Nos casos em que o imóvel apresenta condições para os servidores adentrem com segurança e sem qualquer tipo de dano ao local, o trabalho é executado.

Confira alguns passos para afastar o Aedes aegypti de sua casa:

  • Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água.
  • Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.
  • Se guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre as bocas para baixo.
  • Proteja ralos sem tampa com telas finas.
  • Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada.
  • Não jogue lixo em terrenos baldios.
  • Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje.
  • Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda.
  • Se guardar pneus velhos, retire toda a água e os mantenha em locais cobertos, protegidos da chuva.
  • Lave, com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água, pelo menos, uma vez por semana.
  • Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência.
  • Quando o agente de endemias – devidamente identificado – pedir para fazer a vistoria de rotina, permita a sua entrada.
  • Se for viajar por longo período, certifique-se de que não está deixando nenhum recipiente em local onde possa acumular água.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape