ads-geral-topo
Política

Vereadores batem boca durante sessão na Câmara de Alegre

O clima esquentou entre os vereadores de Alegre, na noite da última segunda-feira (13).

Por Diorgenes Ribeiro

3 mins de leitura

em 16 de maio de 2024, às 09h59

Crédito da Foto: Reprodução | Câmara de Alegre

A sessão da Câmara de Alegre, no Caparaó, esquentou na noite da última segunda-feira (13). Os vereadores, Fábio Bragança Polastreli (PSB) e José Sopriano Merçon (PP), discutiram após Fábio Bragança fazer uso da Tribuna para mencionar que havia protocolado e encaminhado à mesa diretora da Casa a elaboração de um novo Projeto de Lei de fixação de subsídios dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários.

Durante suas falas, Polastreli leu a reposta recebida por ele do Ministério Público, onde o promotor diz que a questão dos salários da classe política tem que ser decidida pela própria Casa, então, o vereador passou para a mesa diretora um ofício solicitando que fosse colocada em pauta a manutenção salarial da classe política para os anos de 2025 – 2028, fixando os subsídios aos atuais valores já recebidos.

Leia Também: Eleições: Coser inicia série de debates para elaborar Programa de Governo

Demagogia

Já no uso de suas falas, José Sopriano Merçon (PP) comentou que o vereador Fábio estava fazendo uso da Tribuna para fazer demagogia com relação ao aumento dos salários dos vereadores da Casa.

“É difícil ser vereador, principalmente em ano eleitoral. A respeito do salário de vereador, nós não ganhamos bem. Essa Câmara de Vereadores é a mais enxuta desse país, nós não temos assessor. Eu me considero empregado do povo, estou todos os dias aqui. Querer fazer demagogia em plena véspera de campanha eleitoral é uma covardia com essa Casa de Leis”, disse o vereador.

José Sopriano chegou a solicitar a presença da Polícia Militar para realizar uma vistoria no veículo do vereador Fábio Bragança. ” Eu vou solicitar a presença da Polícia Militar, pois se alguma coisa grave acontecer, estou sendo ameaçado. Não tenho medo, eu tenho respeito. Por isso, quero que a Polícia Militar faça uma vistoria no veículo do vereador Fábio.”

Apesar da solicitação do vereador, a Polícia Militar não confirmou que tivesse sido acionada para atuar na referida demanda.

Pedido de desculpa

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, na manhã de terça-feira (14), o vereador Fábio Polastreli pediu desculpas por ter se exaltado na sessão.

“Gostaria de me desculpar com a população alegrense por ter me exaltado um pouco na sessão de ontem. Eu pedi à mesa diretora que faça um projeto de lei mantendo o salário dos vereadores atuais e derrubando esse aumento absurdo para o próximo pleito. Mas com esse pedido vieram os insultos, vieram as indiretas por parte de alguns vereadores. Eu não vou desistir da política que eu acho correta”, mencionou.

Entenda o caso

Em fevereiro de 2023, a Câmara de Vereadores votou o aumento do subsídio para vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários, para a legislatura 2025 a 2028, no município de Alegre.

O salário do prefeito foi fixado em R$ 19 mil. Vice-prefeito de R$ 9.500, secretários municipais em R$ 7.200 e vereadores no valor de R$ 7.200, sendo o ocupante do cargo de presidente da Casa agraciado com o valor de R$ 1.500 a mais.

A reportagem do AQUINOTICIAS.COM tentou contato com o presidente da Câmara, vereador Carlos Renato Viana (PP) e com o vereador José Sopriano Merçon (PP), mas eles não atenderam e não retornaram as ligações. Assim que obtivermos retorno, a matéria será atualizada.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape