ads-geral-topo
Grande Vitória

Vila Velha inicia o recadastramento de famílias em setor de risco

Com esses dados, a Defesa Civil consegue definir estratégias e prioridades para aviso e resgate em possíveis situações de urgência, como chuva forte e risco de deslizamento

Por Redação

2 mins de leitura

em 24 de jun de 2024, às 10h24

Foto: Divulgação/PMVV

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Vila Velha (Sempdec) começou o recadastramento das famílias que residem em áreas de risco do município. As equipes começaram o recadastramento pelo bairro São Torquato e depois passarão pelos outros locais.
 
De acordo com o Plano Municipal de Redução de Riscos (PMRR), o município possui atualmente 101 setores de risco geológico. Desses três são setores com Risco Muito Alto (R4), 71 com Risco Alto (R3). Além de 27 com Risco Médio (R2) em 23 bairros suscetíveis a movimentos gravitacionais de massa e processos geodinâmicos correlatos.

Leia também: Quer parcelar seus ingressos do FIG sem juros? Veja como
 
Em 2021 foi realizado o cadastramentos dos moradores dessas áreas. Na época, a Defesa Civil levantou várias informações sobre os residentes das áreas, como: quem são, se têm alguma comorbidade ou dificuldade de locomoção, faixa etária, e a condição social.
 
Agora, a finalidade é saber se houve alterações no cadastro realizado anteriormente. “Na época buscamos conhecer o perfil dos moradores das áreas de risco geológico. Identificamos a localização de seu imóvel, a situação de saúde e vulnerabilidade de cada membro familiar. Agora, estamos verificando se ocorreu alguma alteração. Se os moradores continuam no local e se ainda necessitam de uma atenção especial durante uma intercorrência”, ressalta o diretor Operacional da Defesa Civil, Gilvandro Pinto.
 
Com esses dados, a Defesa Civil consegue definir estratégias e prioridades para aviso e resgate em possíveis situações de urgência, como chuva forte e risco de deslizamento.
 
“Essas informações são de extrema importância, pois em situação mais crítica podemos saber quantas pessoas residem no local e quantas delas têm uma comorbidades ou dificuldade de locomoção. Assim, conseguimos direcionar os atendimentos durante a emergência. O trabalho preventivo salva vidas”, ressalta o Secretário  Coronel Marcelo D’Isep.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape