ads-geral-topo
Entretenimento

Atriz apresenta espetáculo de teatro gratuito em Itaipava e Vitória

O espetáculo de teatro “Não há palco que dure” celebra 25 anos de carreira da atriz e poetisa Ivny Matos e mobiliza várias linguagens artísticas

Por Redação

5 mins de leitura

em 07 de jun de 2024, às 12h41

Foto: João Vitor Barbosa

De forma intimista e ao mesmo tempo intensa, o espetáculo teatral inédito “Não há palco que dure!” traz à tona o desejo e a necessidade de reinventar a vida e construir novos sentidos para a existência humana, a partir da arte e, particularmente, da poesia.

Leia também: Bad Boys: filme estrelado por Will Smith chega aos cinemas de Cachoeiro

É baseado no livro de poemas de mesmo título, lançado em 2022 (editora Pedregulho) pela atriz e poetisa Ivny Matos e celebra os 25 anos de carreira da artista. A peça lança uma ótica particular para o fazer poético e sua relação direta com o cotidiano (“Desconheço a métrica / perco a rima e as rédeas / e enlouqueço em plena tarde de segunda-feira (…)”).

Canções frutos de parcerias entre a artista e os compositores Douglas Tubarão e Mário Travassos (em memória) fazem parte do espetáculo, que conta também com o arranjo para piano de Affonso Talyuli, talentoso jovem músico de Mimoso do Sul- ES.

Estreia

Estará em cartaz no Teatro Sônia Cabral, centro de Vitória, próximos dias 14 e 15 de junho (sexta e sábado), às 20h, entrada franca. O espetáculo será apresentado, ainda, na EEEFM Leopoldino Rocha, em Itaipava, Itapemirim, onde Ivny reside atualmente, no dia 08 de junho (sexta e sábado), às 20h, também com entrada franca.

No dia 07 de junho (sexta-feira) será realizada uma atividade especial somente para as turmas da Educação de Jovens e Adultos (EJA) com ensaio aberto e bate papo com os estudantes sobre produção cultural e todo o processo criativo desde a escrita dos poemas até a montagem do espetáculo.

Fazer da vida uma poesia parece ser a inspiração maior deste espetáculo, que revisita a trajetória pessoal de Ivny, desde os tempos da infância, em São José do Calçado, passando por sua temporada no Rio de Janeiro, onde se reencontrou com a poesia falada, nos diversos saraus da cidade, até o retorno ao Espírito Santo, em Itaipava, balneário do município de Itapemirim.

O mar

A relação com o mar é um dos destaques do texto. Os versos anseiam por renovação, como podemos ouvir em: “Não é sempre que a água do mar está azul / Aliás, ela se turva quando chove e os rios transbordam / E nas curvas por onde passam, as águas levam os restos / Abordam gravetos, carregam pudores, regam amores. / É por isso que o mar existe, pois é refeito, reposto.”

O simbolismo das águas também evoca o lado romântico da artista: “Meu coração é um mar de saudades / Mas, munida de medo e coragem / Me lanço no imenso azul, por hora, / Pois, meu desejo é te amar de verdade. / Quem poderia prever a tempestade, / Esse mar e o mau tempo?”.

Maternidade

Um dos pontos culminantes está no enfoque à gravidez e à maternidade, experiência vivida por Ivny há treze anos. “Sou mãe! / Apesar dos dois pontos, / com nós segurando as pontas / apesar do corte, / do golpe baixo, / da pressão. / Pelo sim e pelo não, / com toda a resistência e por toda persistência, / Parimos!”. Aliás, o filho da artista, Davi Gonçalves, faz uma participação especial, como percussionista, no que promete ser um dos momentos mais emocionantes da peça.

“Não há palco que dure” mobiliza vários recursos cênicos e artísticos para expansão da poesia, como a música, a dança e o audiovisual, linguagens que fazem parte do universo criativo de Ivny Matos. Em suas palavras, trata-se de “um espetáculo orgânico que, com toda certeza, vem sendo construído ao longo de toda a minha vida”.

Ainda de acordo com Ivny, a peça “é uma homenagem às mulheres artistas que, como eu, enfrentam uma série de obstáculos todos os dias, ainda mais sendo mãe solo e dona de casa. Enfim, não é fácil. Merecemos essa homenagem”.

A equipe artística e técnica é composta, em sua maioria, por amigos profissionais e parceiros de longa data, como Marcelo Ferreira, fundador da Cia. Teatro Urgente, onde a atriz iniciou a carreira, e que assina a encenação. Destaque ainda para o roteirista Fernando Gasparini, parceiro de Ivny no Poesia no Ar, canal de poesias lançado há oito anos. A preparação vocal é de Alza Alves e a direção musical é de Douglas Tubarão, e inclui a participação especial em cena do sanfoneiro Guilherme Valli.

“Não há palco que dure!” foi premiado no edital de seleção de projetos de artes cênicas da Secretaria Estadual de Cultura do Espírito Santo em 2022.

Serviço:

Não há palco que dure!

Temporada de estreia:

8 de junho às 20 horas no EEEFM Leopoldino Rocha em Itaipava, Itapemirim – ES.

14 e 15 de junho, às 20 horas no Sônia Cabral, Centro de Vitória -ES.

Entrada franca.

Classificação 14 anos.

Informações: (27) 997424181

Ficha Técnica

Texto, performance e direção geral: Ivny Matos

Encenação: Marcelo Ferreira

Roteiro: Fernando Gasparini

Produção executiva: Dona Música Produções

Produção audiovisual e sonoplastia: Raphael Newman

Produção de áudio e trilhas: Ivny Matos, Douglas Tubarão e Raphael Newman

Direção musical, violão e voz: Douglas Tubarão

Preparação vocal: Alza Alves

Iluminação cênica: André Stefsson

Fotografia e objetos cênicos: João Vitor Barbosa

Figurino e caracterização: David Scárdua

Assistente de produção: Priscilla Arranz

Sanfona: Guilherme Valli

Arranjo da canção “Quando se é mãe: Affonso Talyuli

Percussão: Davi Gonçalves

Designer gráfico: Fábio Birous

Mídias sociais: Savya Alana

Intérprete de libras: Edna Mara

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

Assuntos:

Teatro
ads-geral-rodape