ads-geral-topo
Pets

Envolvidos no caso do cachorro morto a tiros serão ouvidos na CPI de Maus-Tratos

No último sábado (9), a tutora do cachorro da raça Golden Retriever, chamado Churros, passeava com o animal e mais três crianças em uma rua na Praia do Morro

Por Redação

2 mins de leitura

em 12 de set de 2023, às 08h37

Foto: Divulgação

A CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), vai ouvir, na próxima quarta-feira (13), às 18h30, os envolvidos no caso do cachorro assassinado a tiros por um policial militar reformado, em Guarapari.

No último sábado (9), a tutora do cachorro da raça Golden Retriever, chamado Churros, passeava com o animal e mais três crianças em uma rua na Praia do Morro. O cão teria latido e pulado em um policial que passou no local. Um subtenente reformado da Polícia Militar de Minas Gerais, de 52 anos atirou e o cachorro foi baleado. Ele alegou que atirou para se defender.

Churros foi socorrido pela família, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A Polícia Militar foi chamada e o suspeito foi levado para a delegacia, autuado por maus-tratos a animais e depois liberado na audiência de custódia, mas não pode sair da Grande Vitória nem usar arma de fogo.

A tutora do cachorro assinou um termo circunstanciado porque o cachorro estava sem coleira. Ela disse que o cão é dócil e saía pouco de casa. As crianças, de 12, 9 e 1 ano de idade, estão traumatizadas com a cena que presenciaram.

“A equipe da CPI dos maus-tratos contra os animais está em busca de imagens e também de testemunhas. Os envolvidos estão sendo convocados para uma oitiva com a presença do Ministério Público, OAB, Polícia Civil e representantes oficiais da causa animal. Nós vamos reunir mais elementos sobre esse caso, entender tudo que aconteceu, para que não fique impune”, afirma a deputada Janete de Sá, que preside da CPI.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape