ads-geral-topo
Espírito Santo

Helcio Rezende: uma liderança com o olhar para o associativismo

O presidente emérito da Findes faleceu na última quinta-feira (14). A Federação manifesta profundo pesar

Por Redação

6 mins de leitura

em 15 de set de 2023, às 17h31

Foto: Thiago Guimarães/Findes

O empresário do ramo da panificação e presidente emérito da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Helcio Rezende Dias, faleceu aos 90 anos na noite da última quinta-feira (14).

Ele deixa quatro filhos, 13 netos e sete bisnetos, além de um legado imenso de contribuições ao longo da vida em prol do associativismo, da indústria capixaba e do desenvolvimento do Estado. 

O governador Renato Casagrande (PSB) decretou luto oficial no Espírito. “Lamento a perda de Hélcio Rezende Dias, uma das maiores referências em desenvolvimento e associativismo sindical. Sua liderança incluiu muitas pessoas em nossa jornada rumo a um futuro mais justo e próspero. Hélcio deixará uma grande marca em nossa história. Descanse em paz. Em sua memória e homenagem, decretei luto oficial de três dias em todo o Estado”, postou em suas redes sociais.

A Findes também manifestou solidariedade e também declarou luto oficial de três dias: “A Findes manifesta profundo pesar pelo falecimento desta grande liderança e a mais profunda admiração por toda a sua trajetória e contribuições para a indústria e para o crescimento do Estado”, comenta a presidente da Federação Cris Samorini.

Sr. Helcio, como carinhosamente era chamado, foi presidente da Findes ao longo de dois mandados, de 1983 a 1989. Nesse período, teve papel decisivo no desenvolvimento industrial capixaba, na expansão da presença física da Findes e suas entidades pelo Espírito Santo e, especialmente, foi uma referência para o fortalecimento do associativismo. 

Em função do falecimento do empresário, a Findes declarou luto de três dias. O governador Renato Casagrande também decretou na manhã desta sexta-feira (15) luto oficial no Estado pelo mesmo período.

Em julho de 2012, Sr. Helcio participou do evento “Contando Histórias” realizado pelo Cindes, entidade que teve o empreendedor como um dos seus fundadores. O encontro, idealizado por ele em 2010, contou com três edições, que renderam publicações com as vivências relatadas pelos convidados, entre elas, a citação abaixo.

“Muito obrigado por esta oportunidade e momento [evento Contando Histórias] que, quer queira ou não, é importante para todos nós. O que mais dá orgulho à pessoa é ela ser homenageada, seja qual homenagem for. Precisamos ter isso sempre na nossa cabeça, no nosso pensamento. É durante uma homenagem que a gente fica conhecendo as pessoas e o que elas fizeram. Por isso, agradeço por este momento. Fui um dos que criou o projeto “Contando Histórias” aqui na Findes e jamais pensei que pudesse estar aqui hoje, porque a minha história é muito pequenininha”

Quem foi Helcio Rezende Dias?

Nascido em 1º de novembro de 1932, em Dores do Rio Preto, na região Caparaó Capixaba, Helcio Rezende Dias era filho de Delmiro Moreira Dias e Juacy Rezende Dias, e teve mais cinco irmãos. 

Ele era contador, formado em Ciências Contábeis pela faculdade de Juiz de Fora (MG), mas sua vocação e missão foram voltadas para a transformação e o impulsionamento do setor de panificação do Espírito Santo. Fez história e se destacou pelo forte olhar coletivo e pelo comprometimento junto às entidades empresariais e associativas

Trajetória em prol do associativismo

Helcio Rezende Dias se filiou ao Sindicato da Indústria da Panificação e Confeitaria do Estado do Espírito Santo (Sindipães) em 1956. Dois anos depois, em 1958, o sindicato foi um dos cinco que participaram da criação da Findes. 

Ele assumiu a presidência do sindicato na década de 1960. Sob a gestão dele, o Sindipães teve a sua primeira sede, após ser despejado depois de ter realizado reuniões no salão da Associação Comercial e na Concha Acústica do Parque Moscoso, em Vitória.

Em 1983 foi eleito presidente da Findes e, em 1990, voltou à diretoria do Sindipães. 

Na segunda passagem pela presidência do sindicato, o número de associados aumentou gradativamente, já eram 460. Foi nesse mesmo período, que, com o propósito de levar formação e qualificação para o setor, uma nova sede seria construída onde está localizada atualmente, em Vila Velha, com uma área inicial de 5 mil metros quadrados m², que futuramente seria expandida para 18 mil m². 

Findes

Helcio Reszende Dias assumiu a presidência da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) em 1983, tendo permanecido no cargo até o ano de 1989, completando dois mandatos. 

Ele iniciou sua gestão no dia da inauguração da atual sede da Findes, 12 de setembro de 1983, e uma das suas primeiras providências foi mobiliar o prédio e equipá-lo para seu funcionamento. 

Já no início de sua administração, conseguiu aumentar em 50% os recursos iniciais do Fundo de Recuperação Econômica do Estado do Espírito Santo (Funres) para o Programa de Modernização e Capitalização da Pequena e Média Empresa. Outro marco importante em seu mandado, foi a implantação do Estatuto da Microempresa. 

Ao longo do seu mandato, o presidente emérito realizou missões empresariais para captar novos compradores internacionais para os produtos capixabas. Em agosto de 1985, 13 empresários capixabas partiram para uma missão no Japão. Esse feito rendeu exportações de 450 mil dólares (à época) nos produtos: mármores, granitos, calcita, dolomita calcinadas, lonas agrícolas, sacolas e sacos de polipropileno. 

De acordo com empresário, Ennio Modenesi, no livro “Findes 50 anos”, o Sr. Helcio foi um dos maiores construtores da Findes. Além de um homem conciliador, de ação e do bom relacionamento. 

“Quem enriqueceu o patrimônio da Federação, sobretudo pelas obras efetuadas no Sesi e no Senai, foi Helcio Rezende Dias. É uma pessoa aberta, pura, que não fez restrição a ninguém”, disse Modenesi, no depoimento concedido em 5 de junho de 2008 para o livro. 

No Cindes, implementou reuniões mensais das diretorias conjuntas e diversas palestras com autoridades e políticos de dentro e fora do Estado.

Sr. Helcio se definia como um “tocador de obras”, pois, em seu mandado, foram construídos centros integrados do Sesi Colatina, Vila Velha e Cachoeiro de Itapemirim; centro médico-odontológico no CAT Oswaldo Marques; o Clube do Trabalhador em Cachoeiro, Linhares e Vila Velha, com ginásio de esporte, campo de futebol com arquibancadas cobertas e piscinas. 

Também foram feitos grandes investimentos no Senai com a criação do Centro Tecnológico, em parceria com o governo japonês. Na área de panificação, criou uma unidade móvel, em parceria com o Sindicato de Panificação, em 1984. 

Referência para outros empresários, Sr. Helcio sempre trabalhou com o propósito de defender os interesses dos diversos setores para o desenvolvimento do Estado. 

Participou recentemente, no dia 6 de junho de 2023, da inauguração da Escola Sesi de Referência em Jardim da Penha. Foi um marco importantíssimo para a Findes, e agora, essa data terá ainda mais relevância por ser um dos últimos encontros com o presidente emérito, Helcio Rezende.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape