ads-geral-topo
Segurança

“Meu coração está sangrando”, diz mãe de jovem morta em Atílio Vivácqua

Thieli Beneta Grechi foi morta com três tiros nas costas, na frente das três filhas, na tarde do último sábado (23), na localidade de Alto São José, em Atílio Vivácqua

Por Redação

3 mins de leitura

em 27 de dez de 2023, às 09h57

Foto: Reprodução/Redes Sociais

A mãe da jovem Thieli Beneta Grechi, de 26 anos, que foi morta com três tiros nas costas, pelo ex-companheiro, na tarde do último sábado (23), na localidade de Alto São João, em Atílio Vivácqua, no Sul do Espírito Santo, disse estar sofrendo muito com a perda da filha. “Meu coração está sangrando desde do dia em que perdi minha filha de uma forma tão covarde”, disse.

Leia também: Mulher é morta a tiros pelo ex-companheiro em Atílio Vivácqua

Daniela Beneta contou durante a entrevista a nossa reportagem que a filha estava em casa, com as três filhas, quando foi morta pelo ex-companheiro. “Minha filha estava em casa, com as minhas três netas quando foi morta com três tiros nas costas, após uma discussão, onde a filha mais velha conta que o assassino agarrou no pescoço da mãe antes de matá-la”, contou.

Segundo o relato de Daniela Beneta, a filha se relacionava a sete anos com o assassino e estava em um relacionamento conturbado, onde era ameaçada o tempo todo pelo ex-companheiro. “Durante esses sete anos de relacionamento, minha filha era um tipo de pessoa que sofria calada. De uns cinco meses pra cá, ela começou a me falar que já não estava aguentando mais o relacionamento”, relatou.

Daniela disse ainda que a filha morava na casa onde era do pai e que o assassino não aceita sair da residência. “Ele não aceitava sair de casa. Foi preciso que o Juiz fisesse a medida protetiva. Um policial foi até a casa e tirou ele de lá. Foi aí que ele se revoltou. Começou a vigiar ela, ameaçava que iria no serviço matá-la e quem estivesse junto. Diante disso, as coisas só foi piorando”, disse.

O corpo da vítima foi encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim, onde passará pelo processo de necropsia e, posteriormente, será liberado para os familiares. Após o crime, o suspeito fugiu em uma motocicleta sentido Cachoeiro de Itapemirim. Thieli deixa três filhas que teve com o ex-companheiro, uma de três, quatro e seis anos.

Por meio de nota, a Polícia Civil (PC) informou que o caso seguirá sob investigação da Delegacia de Polícia de Atílio Vivácqua e, até o momento, nenhum suspeito do crime foi detido. Informações podem ser compartilhadas de forma sigilosa por meio do Disque-denúncia (181), que é uma linha de contato gratuita, disponível em todos os municípios do Estado. As informações passadas pela comunidade podem ser cruciais para o avanço das investigações.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape