ads-geral-topo
Espírito Santo

Professores da Ufes aderem à greve e portões amanhecem fechados

De acordo com a Ufes, até o momento, os acessos aos campi de Alegre, Maruípe e São Mateus estão liberados

Por Redação

2 mins de leitura

em 15 de abr de 2024, às 11h00

Foto: Divulgação

Na manhã desta segunda-feira (15), os portões da Universidade federal do Espírito Santo (Ufes), de Goiabeiras amanheceram fechados. Os professores universitários aderiram à greve, que reivindica o reajuste salarial.

Por meio de nota, a Administração Central da Ufes informa que “devido à greve dos servidores técnico-administrativos, iniciada no mês de março, e a dos professores, deflagrada nesta segunda-feira, (15), os portões de acesso ao campus de Goiabeiras foram bloqueados pelo movimento paredista, estando impedido o acesso para veículos e pedestres. Em virtude disso, todas as atividades presenciais do campus de Goiabeiras estão suspensas nesta segunda-feira. As atividades do campus de Maruípe também serão suspensas, no turno vespertino”.

Leia também: Você conhece? CAPAAC busca família de paciente misterioso há 33 anos

Ainda, segundo a Administração Central da Ufes: “em reunião realizada na semana passada com a diretoria da Associação dos Docentes da Ufes (Adufes), na qual também se conversou sobre a paralisação, em nenhum momento a gestão da Universidade foi comunicada sobre esta ação, que prejudica não só a circulação dentro do campus, mas também impede, por exemplo, o funcionamento do Restaurante Universitário, em Goiabeiras, o fornecimento de refeições para o campus de Maruípe, a abertura do Colégio de Aplicação (CAP) Criarte e da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Experimental de Vitória, e demais serviços, como agências bancárias, cantinas etc”.

Para a manhã desta segunda-feira (15), estava agendada uma nova reunião com representantes da Adufes, que aconteceria na sala de reuniões da Reitoria. Entretanto, diante desta ação do comando de greve, a reunião foi suspensa.

“À comunidade universitária e à comunidade em geral, a Administração Central da Ufes afirma que reconhece a legitimidade do movimento e das pautas apresentadas pela categoria em nível nacional, mas atuará para que, durante a paralisação, o processo seja conduzido de forma a minimizar ao máximo os impactos para nossos estudantes, técnicos, docentes e para a sociedade.

A Administração Central da Ufes reafirma que dará sequência ao diálogo com o comando local de greve e manterá a comunidade universitária informada”.

De acordo com a Ufes, até o momento, os acessos aos campi de Alegre, Maruípe e São Mateus estão liberados.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape