ads-geral-topo
Esportes

Capixabas conquistam ouro na Copa do Mundo de ginástica rítmica

Foi a primeira final na história de uma Copa do Mundo que contou com duas brasileiras

Por Redação

5 mins de leitura

em 13 de maio de 2024, às 15h45

Foto: Divulgação/SESPORT

Com as capixabas Déborah Medrado e Sofia Madeira na equipe, a seleção brasileira de conjunto de ginástica rítmica alcançou sua melhor participação na história de uma etapa de Copa do Mundo, em Portimão, Portugal, com a conquista de três medalhas: ouro na série mista (três fitas e duas bolas) e pratas no geral e nos cinco arcos. A competição foi encerrada nesse domingo (12).

Leia também: Copa Paraíso: confira os jogos do torneio que vem agitando Cachoeiro

Além disso, no individual, a também capixaba Geovanna Santos chegou à final do aparelho maças. Com a participação da paranaense Bárbara Domingos, foi a primeira final na história de uma Copa do Mundo que contou com duas brasileiras.

Déborah Medrado, Geovanna Santos e Sofia Madeira são contempladas pelo programa Bolsa Atleta, da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport).

A 74 dias para o início da Olimpíada de Paris, Déborah Medrado e Sofia Madeira seguem confiantes em uma boa participação do Brasil nos Jogos.

“Foi uma conquista histórica, inédita para o Brasil. Superamos a etapa de 2023 na Romênia, quando conquistamos um ouro, uma prata e um bronze, e agora chegamos a um ouro e duas pratas. Estamos vindo de uma evolução constante, e a cada competição estamos melhorando, e isso é muito importante para chegarmos em Paris muito bem, com muita experiência e bagagem para chegarmos nas cabeças. Então, esse resultado é importante para o time, para chegarmos em Paris cada vez mais confiante”, disse Déborah Medrado.

“Todo o nosso esforço está valendo a pena. O mais importante é a construção da nota. Temos duas séries muito fortes. E entrar em quadra, fazer as séries e receber boas notas é muito importante para nós. A cada competição que a gente vai, estamos desenvolvendo um pouco mais. Queremos chegar em Paris e poder mostrar nossa melhor série, alcançar nossa melhor nota e, se Deus quiser, com grande chance de uma medalha olímpica, porque dá para ver que a nossa série pareia com as melhores do mundo e que temos força suficiente para chegar lá e conseguir uma medalha”, comentou Sofia Madeira.

Pontos na Copa do Mundo de ginástica rítmica

O conjunto brasileiro faturou o ouro na série mista com uma nota de 32,550 pontos. O México, segundo colocado, atingiu 30,100 de pontuação. Nos cinco arcos, as brasileiras alcançaram a nota de 35,200 pontos e só ficaram atrás da Espanha, que atingiu 35,750 pontos. No geral, o quinteto verde e amarelo conseguiu uma nota alta: 68.850. A Espanha foi campeã com 70.300 pontos.

Além de Déborah Medrado e Sofia Madeira, fazem parte da equipe do Brasil Maria Eduarda Arakaki, Nicole Pircio e Victoria Borges.

A treinadora capixaba Gizela Batista, que esteve em Portugal acompanhando Geovanna Santos, comentou sobre os resultados do Brasil e das representantes do Estado.

“Temos muito orgulho de ter duas capixabas representando o Brasil na Copa do Mundo. E no individual a Geovanna também conseguiu um grande feito, ao chegar na final das maças. A primeira vez que ela chegou em uma final nas maças em uma Copa do Mundo. Infelizmente, ela teve uma pequena falha e em uma competição de nível alto não podemos errar. Agora vamos nos preparar para a nossa próxima competição, a disputa do Pan-Americano, no início de junho”, destacou Gizela Batista.

Torneios internacionais

Antes da Copa do Mundo em Portimão, foram disputados torneios internacionais da modalidade na Polônia e na própria cidade portuguesa.

Na Polônia, Geovanna Santos conquistou três medalhas, pratas na bola e na fita, e bronze no arco, terminando na quarta colocação geral.

Já em Portimão, Ana Luísa Neiva, que viajou com passagens pagas pelo programa Voe Atleta, também da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport), ficou na sétima colocação geral e chegou nas finais dos aparelhos arco, bola e maças. A treinadora e presidente da Federação do Espírito Santo de Ginástica (FESG), Monika Queiroz, também viajou com passagens concedidas pelo Voe Atleta.

Bolsa Atleta

O Bolsa Atleta tem como objetivo principal beneficiar atletas e paratletas de alto rendimento, com o auxílio financeiro mensal que deve ser utilizado para a manutenção dos resultados obtidos e da carreira esportiva do atleta no ano de recebimento do benefício.

Com um investimento de R$ 3,9 milhões, o edital 2024 atingiu o recorde de esportistas de alto rendimento selecionados, com 234 contemplados, 43 a mais do que no edital anterior. Serão pagos aos selecionados 12 parcelas mensais, de acordo com a categoria: estudantil (R$ 500), nacional (R$ 1.500), internacional (R$ 2 mil) e olímpico (R$ 4 mil).

Voe Atleta

O Voe Atleta, antigo Compete Esportivo, é um programa que custeia passagens de avião, com o intuito de viabilizar a participação de atletas e paratletas capixabas em competições nacionais e internacionais.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape