ads-geral-topo
Segurança

PF cumpre mandados contra secretária de saúde e empresário no ES

A apuração revelou indícios de direcionamentos de licitações e contratações públicas em favor do empresário desde 2020, bem como elementos sobre possíveis pagamentos ilegais à servidora pública

Por Redação

2 mins de leitura

em 28 de jun de 2024, às 11h10

Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão, após suspeitas de esquemas envolvendo um empresário e uma secretária municipal de saúde. Os mandados foram cumpridos na manhã desta sexta-feira (28), nos municípios de Vitória e Linhares.  

Segundo a Polícia Federal, as investigações começaram em agosto de 2023, após a Polícia Federal obter diálogos suspeitos entre uma secretária municipal de saúde e um empresário contratado para fornecer materiais e serviços hospitalares. Aliás, a apuração revelou indícios de direcionamentos de licitações e contratações públicas em favor do empresário desde 2020, bem como elementos sobre possíveis pagamentos ilegais à servidora pública.

Leia também: Troca de tiros e apreensão de drogas em ação da PM em Atílio Vivácqua

Aumento patrimonial e de gastos

Além disso, também foram colhidos indícios de que, durante o mesmo período, a servidora apresentou aumento patrimonial e padrão de gastos incompatíveis com sua renda familiar declarada. Policiais fizeram buscas em locais ligados aos investigados, com o objetivo de recolher provas adicionais que comprovem a atuação do grupo investigado.

No entanto, em cooperação técnica com o TCE-ES, a Polícia Federal fez análise dos dados consolidados de empenhos, até 2023, onde foi constatado que mais de 60% dos recursos recebidos pela empresa investigada tiveram origem em contratos com o município, corroborando a hipótese de favorecimento ilícito.

Secretária afastada

Diante dos elementos encontrados, a Justiça Federal determinou o afastamento e a suspensão provisória da função da Secretária Municipal de Saúde até o encerramento da persecução penal.

Os envolvidos poderão ser indiciados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitações, peculato e associação criminosa. As penas para esses crimes, somadas, podem ultrapassar 20 anos de reclusão.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape