ads-geral-topo
Espírito Santo

Junho vermelho: ações de mobilização pelo Dia do Doador de Sangue no ES

A diretora-geral do Hemoes frisa que é necessário uma média de 120 doadores por dia para manter os estoques em níveis adequados e atender à demanda

Por Redação

7 mins de leitura

em 02 de jun de 2024, às 15h13

Foto: Pixabay

A Secretaria da Saúde (Sesa), por meio do Centro de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo (Hemoes), vai comemorar o Junho Vermelho e o Dia Mundial do Doador de Sangue, data que acontece no próximo dia 14 de junho, com o slogan “Sua doação vale ouro” — inspirados pelos Jogos Olímpicos deste ano. As ações acontecem durante todo o mês de junho.

Leia também: ES está entre os três estados com maior taxa de alfabetização do país

A diretora-geral do Hemoes, Marcela Gonçalves Murad, explica que essa ação tem como objetivo sensibilizar a população em prol dessa causa e também visa a agradecer aqueles que doam um pouco de si para salvar vidas.

“Realizaremos uma gincana entre as agências transfusionais dos hospitais. A que atingir o maior número de doadores ganhará a medalha de ouro e um certificado de parceria. Em caso de empate, o critério de desempate será o número de doadores aptos”, explica Marcela Murad.

Ela lembra que a doação de sangue é uma responsabilidade social. “Cada doação pode salvar até quatro pessoas, sendo crucial para pacientes que passam por cirurgias, tratamentos de câncer, transplantes ou que sofrem de doenças crônicas e acidentes graves”, frisa.

Marcela Murad completa: “É um processo seguro, rápido e que não causa riscos à saúde do doador. Um gesto simples, mas de enorme impacto para quem necessita. Por isso, encorajamos todos os que estão aptos a doar regularmente e a se tornarem parte desta corrente do bem”, incentiva.

“As ações realizadas nestas datas específicas são essenciais como forma de conscientizar a população sobre a importância de ser doador. Mas precisamos ter em mente que não existe um substituto para o sangue e a sua disponibilidade é essencial em diversas situações. Por isso, esse ato voluntário e solidário é tão importante, porque ajuda a salvar dezenas de vidas e precisa ser contínuo para manter os estoques em níveis adequados”, alerta o subsecretário de Estado de Atenção à Saúde (SSAS), José Tadeu Marino. 

Doações que salvam vidas

A diretora-geral do Hemoes também frisa que é necessário uma média de 120 doadores por dia para manter os estoques em níveis adequados e atender à demanda constante dos hospitais.

“Atualmente, recebemos em média 85 doadores/dia. O estoque ideal deve ser suficiente para atender às necessidades de todos os hospitais públicos do Estado, tanto em situações de rotina quanto em emergências. Isso significa manter uma quantidade adequada de todos os tipos sanguíneos, considerando as possíveis variações sazonais. A meta é assegurar que todos os pacientes que necessitam de transfusões recebam o atendimento necessário de forma oportuna e segura” explica Marcela Murad.

Em 2022, o Hemoes recebeu 57.536 candidatos à doação, sendo coletado 44.813 bolsas de sangue. Em 2023, foram 58.299 e 46.821, respectivamente. Em 2024, até o momento, foram 20.151 e 16.077, respectivamente. 

  • Informações sobre o estoque de sangue e quem pode doar podem ser conferidas no site hemoes.es.gov.br.

Histórias: reflexão sobre a vida após acidente

O aposentado Maximiliano Pascoal de Paula Oliveira já realizou, neste ano, quatro doações por aférese. Ele conta que é doador há muitos anos, porém sempre foi de forma esporádica, só quando alguém necessitava e solicitava sua ajuda. Mas tudo mudou quando sofreu um acidente grave no Natal de 2019.

“Fiquei 40 dias em coma e 60 dias internado. Eu era corredor e ciclista amador e minha vida mudou completamente. Isso me fez refletir e depois de todo o tratamento pós-hospitalização. A partir de 2023, passei a fazer doação de plaquetas a cada 30 dias. Nunca faltei um dia sequer. Inclusive, nos grupos da igreja que frequento sempre peço para outros colegas doarem sangue. Não posso mais praticar nenhuma atividade física, mas sinto que tenho a missão de ajudar o próximo e com esse gesto conscientizar milhares de pessoas. Faço questão e tenho o maior prazer em ser doador. Só em saber que estou contribuindo para salvar alguém, fico muito feliz”, disse Oliveira.

Exemplo que veio do pai

A advogada, pesquisadora do Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi) e gerente de Auditoria em Saúde da Sesa, Caroline Gomes Coura Barbosa, ressalta que a motivação que a levou a ser doadora de sangue veio do exemplo do pai.

“Ele foi doador por muitos anos, até que um problema crônico de saúde o impediu de continuar. Ele foi meu grande exemplo. Quando completei 22 anos, no meu aniversário, doei sangue pela primeira vez. Foi super rápido e não senti dor e nenhum efeito colateral. Nesse dia, o sobrinho de uma colega de trabalho, de sete anos, estava passando por um tratamento oncológico delicado e precisando muito de doações. A sensação de poder ajudar a salvar outra vida me deixou muito feliz e realizada”, conta Caroline Barbosa.

Desde então, ela faz doações periódicas de sangue e tenta sempre comemorar seu aniversário dessa forma. “Doar sangue é um sentimento muito bom e gratificante de poder contribuir com a vida do próximo. Sempre saio do Hemocentro me sentindo muito melhor do que quando entrei”, acrescentou a advogada.

Comemoração de aniversário

Já a história do empresário Ismael Littig, descendente de pomerano e morador de Santa Maria de Jetibá, começou em 2021 durante a pandemia. “Nesta época, resolvi comemorar meu aniversário de uma forma diferente, doando sangue e salvando vidas. Resolvi mandar um convite para alguns amigos para estarem comigo neste dia. Consegui levar 15 pessoas. Em 2022, como estava completando 30 anos, determinei que levaria esse número de doadores, mas foram 60 ao todo. Em 2023, além de levar 106 amigos, resolvi mostrar um pouco da cultura da minha cidade. Convidei um tocador de concertina, o Fritz e a Frida, e oferecemos um café colonial. Agora, em 2024, quero bater o recorde”, comenta.

Um ato de amor

Outra pessoa que também doa sangue é o professor de História Paulo Cesar Ruas Oliveira Santos. “Em 2007, a pedido de um amigo do trabalho, que, na ocasião, estava precisando muito, fiz minha primeira doação. Na época, descobri a possibilidade de ser doador por aférese e, desde então, venho fazendo doações. Para mim é um grande ato de amor”, disse.

Programação para o Dia do Doador de Sangue

Como parte das ações do Dia Mundial do Doador de Sangue e do Junho Vermelho, o Hemoes realizará nove palestras com a temática doação de sangue e Hemotour (um tour pelas instalações do Hemocentro), além de seis campanhas de coletas externas e uma campanha de medula óssea. Também fará um café da manhã especial para os doadores, no dia 14 de junho.

Hemoes 

Palestras e Hemotur 

  • 05/06 (14 horas): Hemotour turma UVV
  • 06/06: Palestra na empresa Evonik, Aracruz
  • 11/06: Palestra na empresa B4YOULOG, Serra
  • 12/06: Palestra na empresa B4YOULOG, Serra
  • 17/06 (14 horas): Hemotour, visita da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Nelson Vieira Pimentel
  • 18/06 (15h30): Palestra no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves
  • 19/06 (15h30): Palestra no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves
  • 21/06 (14 horas): Palestra na empresa Tommasi Ambiental
  • 26/06 (9 horas): Palestra na empresa IKM

Coletas Externas 

  • 06/06: Coleta externa Med Sênior
  • 11/06: Coleta externa Unimed
  • 18/06: Coleta externa em Laranja da Terra
  • 20/06: Coleta externa Vix Logística
  • 23/06: “Hemoníver” – Aniversário do Ismael Littig
  • 25/06: Coleta externa no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves
  • 26/06: Coleta externa no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves
  • 28/06: Campanha Medula Óssea em Marataízes

Hemocentro de Linhares  

15/06: Café da manhã especial para os doadores com apresentação do Coral Weg.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.

ads-geral-rodape